O CRIME DE TRAIÇÃO À PÁTRIA:

O CRIME DE TRAIÇÃO À PÁTRIA:

O Art.º-141.º Do Código Penal é simples e claro: "Será condenado na pena de prisão maior de vinte a vinte e quatro anos, todo o português que: 1.º intentar, por qualquer meio violento ou fraudulento ou com auxílio estrangeiro, separar da mãe-Pátria ou entregar a país estrangeiro todo ou parte do território português, ou por qualquer desses meios ofender ou puser em perigo a independência do País. 2.º Tomar armas, debaixo das bandeiras de uma nação estrangeira, contra a Pátria". Simples e claro como o juízo do nosso povo, quanto à forma como a Pátria foi mutilada.

¡ O CANTO A ÁFRICA !














Sentindo o cálido vento...
Levantei meu rostro ao céu,
elevando minha alma...
Assim como meu pensamento!
Só necessitava meu alento...
Para sentir em meus pulmões
o brilho do firmamento!
Recolhi em minhas mãos a terra...
A mesma que pisara desde a minha infância!...
Não há falcão solitário!

Primeiro foi o alarde da vergonha!!!
E o tempo foi transformado num covil de ladrões!
Os ares, não são bons ares...
E a vida passou a ser p’ra eles um alvo de ocasiões!
Ainda algum "desses" perguntará:
 "Porque cantam assim?"

- Porque cantamos assim!?
- Cantamos assim porque a crueldade teve nome!!!
Com nome de trágico destino!
Cantamos assim pela infância,
e pelo tudo que era nosso!!!
Pelos afectos roubados!
E da nossa terra destroncados!
Pelos nossos povos massacrados!!!

Porque cantamos assim!?
- Se nós e os nossos ficamos sem abraço!!!
E estão morrendo de fome, de tristeza e de cansaço...
Porque o coração do homem se fez em caco
antes mesmo de explodir a vergonha!!!

Porque cantamos assim!?
- Se estamos longe como um horizonte!...
E lá!... ficaram as árvores, o sol, o céu,
e a alma em cada monte!
Se cada noite é sempre alguma ausência ...
E cada despertar um desencontro!
- Cantamos assim porque o sol nos reconhece!
E lá!... nesse talo, e em fruto de árvore definhada,
a cada pergunta tem a sua resposta!!!

- Cantamos assim porque os sobreviventes,
e os nossos mortos querem que cantemos!!!
 Cantamos porque o grito só!... Já não basta!!!
E já não basta o pranto, nem a dor,
e nem a raiva!!!

- Cantamos assim porque o rio está soando...
E quando soa o rio as suas águas agitam-se em revoltas,
E soa o cântico de musas em trovas soltas!
Cantamos assim porque chove sobre o sulco...
E porque o campo cheira a primavera!
E traídos!!! Somos os militantes desta vida!...
E porque não podemos!!! Nem queremos!!!
Deixar que a canção se transforme em cinza!


Poema de, Rogéria Gillemans.

¡Registado no Ministério da cultura - Inspecção Geral das Actividades Culturais, I.G.A.C. – Processo N°3089/2009!